HISTÓRIA

Situada no Vale do Rio Jacuípe, bem próximo à Serra do Teixeira, a primitiva povoação teria surgido no começo do século XIX. Sabe-se, contudo, que o território chegou a pertencer a Porto Calvo até 1901.

Só a partir de 1852, com a instalação da colônia militar foi que se efetivou como povoado. A colônia foi criada com muita festa e com a presença, inclusive, do presidente da província de Alagoas, José Bento da Cunha Figueredo. A história não registra os motivos para a instalação da colônia militar. Os antigos moradores contam que o objetivo era combater e exterminar o banditismo que dominava as matas de Porto Calvo. O primeiro comandante e diretor-fundador da colônia foi o tenente João da Gama Lobo Bentes. A colônia também foi dirigida por Olavo Elói Pessoa da Silva e pelo alferes Augusto Pereira Ramalho.

Em 5 de janeiro de 1860, a colônia recebeu o Imperador Dom Pedro II. A passagem de Dom Pedro consolidou o povoado e se tornou fato histórico. A antiga casa da diretoria onde se hospedou o imperador existe até hoje. Na mesma data Dom Pedro II e sua comitiva plantou 4 (quatro) mudas de castanholas, sendo que 2 (duas) sobrevivem até o presente.

Como atrativo turístico, é a Serra da Catita, com sua cachoeira, abaixo da cachoeira a antiga ponte do Catita, construída no período de 1919 e 1922, pelo então Governador Dr. José F. da Silva.

Quando a colônia militar foi extinta, em 1867, Leopoldina continuou sob a jurisdição de Porto Calvo e logo depois entrou em decadência. A Lei 372, de 1861, criou o distrito de Leopoldina e uma outra lei, em 1901, elevou-o à vila e depois município. Isso contribuiu para que a antiga colônia voltasse a progredir. Em 1923, passou à condição de cidade.

IMAGENS

Conheça Colônia através de Imagens

Côlonia à noite

Foto aérea

Côlonia à noite

Foto aérea

Pôr do Sol

Crepúsculo vespertino

Prefeitura

Sede do Governo Municipal

Igreja

Igreja

Água

Natureza

Área Rural

Área Rural

Côlonia Vista de Cima

Vista aérea

HINO CÍVICO

Salve! Salve! Colônia Leopoldina
Que vieste da Colônia Militar
Berço de heróicas famílias
Por teus filhos a te glorificar

Salve! Salve! Colônia Leopoldina
Reminiscências de teu imperador
Com teus filhos a estudar
Doutores, poetas, escritores
Para sua terra sempre honrar

Salve! Salve! Colônia Leopoldina
Castanholas simbolizam a Princesa Leopoldina
Vivenciando suas matas verdejantes
Do Rio Jacuípe das florestas exuberantes
Memórias do passado traz lembrança no presente
Que tua imagem não saia da mente!

LETRA: JOSÉ ARAÚJO LUNA
MÚSICA: JODIMARCO DIONÍZIO